TORTURADOR DANDO AULA?

Assassinos e torturadores na polícia

TORTURA E ASSASSINATO VEM DESDE 1964

Mais uma vez professor de cursinho preparatório demonstra comportamento de psicopata durante uma aula, confesa tortura e demonstra que o comportamento do comando é o mesmo.

Durante a confissão o professor do cursinho preparatório para fascista deixa transparecer que alguns crimes são cometidos por ordem dos comandantes que privam por agir como animais quando estão trabalhando.

Na semana que uma pessoa foi assassinada em uma camara de gás pela polícia rodoviaria federal em plena luz do dia na frente dos parentes, o professor criminoso aparece no vídeo se envaidecendo de ter passado anos batendo em crianças e em mulheres trabalhando na polícia.

Temos que observar que esse tipo de comportamento sempre foi existente e devez em quando um ou outro menos cuidadoso assume ser um criminoso e ter passado anos cometendo crimes usando o poder do estado para se elocupretar.

É público todos os fatos e podemos percebe-los conversando com a tia da cantina e com o vendedor de picolé, não é privilegio nosso essas notícias tristes.

Queremos construir um sociedade mais justa e com mais liberdade, se o manto do estado é negro a população não tem liberdade. Se a instituição que tem que te proteger é a que te mata vivemos uma situação complicada de resolver.

 

“Ele está melhor que nós aí dentro”, disse agente da PRF à mulher de Genivaldo Santos, morto na ‘câmara de gás’

“O policial falou ‘Ele tá melhor do que nós, aí dentro está ventilado'”, relatou Maria Fabiana, esposa de Genivaldo de Jesus Santos, de 38 anos

BRASIL 247

Esposa de Genivaldo de Jesus Santos, de 38 anos, Maria Fabiana destacou que um dos policiais em Umbaúba (SE) tentou diminuir a gravidade do estado de saúde do seu marido, morto por asfixia dentro da uma viatura da Polícia Rodoviária Federal (PRF) nessa quarta-feira (25), quando foi alvo de spray de pimenta, após reagir a uma abordagem policial.

“Eu estava em casa, aí um conhecido meu me ligou e falou: ‘Vem aqui rápido no posto de reforço porque estão massacrando seu marido’. Eu entrei em choque, saí correndo, peguei um mototáxi e, chegando lá, ele (Genivaldo) já estava de bruços dentro do carro. Não ouvi mais a fala dele, eles (policiais) trancaram ele. Pedi para que abrissem (o porta-malas) para entrar ventilação, o ar estava muito ‘coisado’ de pimenta. Eu passei até mal, porque eu cheguei bem juntinho dele(Genivaldo). O policial falou ‘Ele tá melhor do que nós, aí dentro está ventilado'”, disse ela em entrevista ao portal Fan F1 repercutida pelo jornal O Globo.

 

PATROCINE nosso trabalho com um pix de 1,00

 

Grupos de Zap de até 10 participantes. Seja bem vindo.